[RESENHA] Cidades de Papel

CidadesDePapel ISBN: 978-85-8057-374-9

Ano: 2013

Páginas: 368

Editora: Intrínseca Ltda.

Gênero: Ficção Americana

Autor: John Green

Preço: R$ 15,80

“Na minha opinião, todo mundo tem seu milagre. Por exemplo, muito provavelmente eu nunca vou ser atingido por um raio, nem ganhar um Prêmio Nobel, nem ter um câncer terminal de ouvido. Mas, se você levar em conta todos os eventos improváveis, é possível que pelo menos um deles vá acontecer a cada um de nós. Eu poderia ter presenciado uma chuva de sapos. Poderia ter me casado com a rainha da Inglaterra ou sobrevivido meses à deriva no mar. Mas meu milagre foi o seguinte: de todas as casas em todos os condados da Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman,”

catinhuu

Cidades de Papel conta a história de Quentin “Q” Jacobsen e sua paixão platônica Margo Roth Spiegelman. Eles são vizinhos e amigos desde crianças, porém, com o acontecimento de um evento traumático, os dois acabam se distanciando. Apesar de estudarem no mesmo colégio, Quentin e Margo permanecem sem se falar durante anos, o que não fez com que o amor secreto de Jacobsen por ela diminuísse.

A vida seguiria perfeitamente normal se não fosse o fato de Margo bater na janela de Quentin, em plena noite, com planos de se vingar de todos que de alguma forma lhe fizeram mal. Para isso, ela precisava da ajuda de Q. e do carro da mãe dele, é claro, rs.

Quentin não é do tipo aventureiro e é até um pouco medroso, mas a possibilidade de passar a noite perto da menina que ama, fez com que ele aceitasse se aventurar em planos arriscados dos quais nunca imaginou participar. Depois daquela noite, Q. jurava que sua vida não seria a mesma e mal podia esperar para chegar ao colégio e contar tudo aos seus dois melhores amigos: Ben e Radar.

E é aí que a história realmente começa. Com um histórico de sumiços repentinos, Margo não vai a aula pelos próximos dias e então é dada como desaparecida. Sua família já estava cansada da rebeldia de Margo, sendo assim, somente uma pessoa poderia encontrá-la e desvendar quem ela era de verdade: Quentin Jacobsen.

John Green sabe como fazer mistério e deixar nosso coração acelerado. Com pistas extremamente enigmáticas, Q. e seus amigos se jogam em uma aventura sem medir esforços para descobrir aonde está o paradeiros de Margo. Durante todo o livro, o autor deixa claro a importância da amizade verdadeira e da força do amor adolescente. É bonito de ler sobre o companheirismo entre os três amigos!

10965336_888468427840773_1753581914_n

Que eu amo John Green não é novidade, e por isso, estou sempre lendo livros dele. Mas preciso confessar que Cidades de Papel não é tão maravilhoso quanto “A Culpa é das Estrelas” eQuem é vocês, Alasca?. O que não quer dizer que ele seja ruim ou chato. Na minha opinião é um livro voltado para os adolescentes que ainda estão se descobrindo. Entretanto, John Green compensa os pontos fracos do livro com sua escrita envolvente e fácil.

4 corações

final do post2

Anúncios

3 comentários sobre “[RESENHA] Cidades de Papel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s